Hábitos alimentares: o que é, como fazer e por que ela é importante para emagrecer e manter a forma física

Em alimentos, alterações do comportamento alimentar, que consiste de um menu balanceado e é, sem dúvida, a melhor maneira de perder peso de forma saudável. Supõe-se que não é preciso comer tudo o que gosta, e só vai ter saudáveis e de baixa caloria, aprender a comer de tudo, sem exageros e de forma equilibrada.

Qual o segredo da dieta?

Uma das maiores frustrações mulheres que querem perder peso, é perder inexistente ou insuficiente de peso, mesmo depois de meses de uma dieta restritiva. Mas então, qual o segredo de famosos, que é possível perder peso e manter a boa forma física? Hábitos alimentares. Como, por exemplo, no caso, se a dona de casa Patrícia Poeta, que perdeu 10 kg depois de reeducar sua alimentação.

A importância da educação nutricional

Eu me lembro na época da faculdade, se não gostei muito na área de educação nutricional, mas hoje eu faço a base do meu trabalho. Em nossos dias, há de despertar interessante quando o assunto é o desenvolvimento de um estilo de vida saudável, a educação, a alimentação é, sem dúvida, o principal pilar para uma vida saudável.

Se se trata de ciência da nutrição, educação nutricional é um trabalho difícil, mas necessário. É um facto cientificamente provado que a alimentação de má qualidade é um fator de risco para várias doenças, e que hábitos alimentares torna-se a principal medida para reverter a tendência de alta ingestão de gorduras, de açúcar e de produção.

Aprendemos a alimentar

Afinal de contas, aprender a comer é realmente necessário? Posso dizer que é assim, porque não comemos somente nutrientes, mas de alimentos, e o significado deles, no campo social, emocional, psicológico e relações sociais, traz novos sentidos e significados para o ato de comer.

Indivíduos com níveis de colesterol no sangue, pressão arterial alta, diabetes, excesso de peso, entre outros fatores, que também estão a procura de recomendações para melhorar a nutrição e, desta forma, para cuidar de sua saúde. Sendo um castigo para o profissional de alimentação de desenvolver recomendações para alimentos, ocorre de forma individualizada, as prioridades, os principais objectivos e tendo em conta a maior complexidade para o paciente, que tem bons resultados.

Como dá o processo de reeducação alimentar?

A alimentação não deve ser imposta, com um menu fixo, monótono e sem alterações. Antes de tudo, a mudança alimentar deve incluir uma série de alimentos e comportamentos saudáveis, que dão prazer, que culturalmente, socialmente e psicologicamente, estão ligados a uma pessoa, desde que seja feito com equilíbrio e bom senso.

O processo de reeducação alimentar, começa com a primeira consulta, o paciente nutricionista, através de anamnese e entrevista motivacional, profissionais discute os hábitos alimentares de seu paciente, bem como as proibições, as dúvidas e crenças sobre a alimentação, que fazem parte de seu conjunto de dados. Deve-se procurar o conhecimento sobre possíveis intolerância/não gosta alimentares e doenças associadas. É muito importante também nutricionista disposição dos dados fornecidos no estado emocional de uma pessoa, que tem subsídios para apoiá-lo durante este processo de mudança.

Como deve ser feito o monitoramento de alimentação?

Os dados antropométricos como peso, altura, dobras de pele são importantes para avaliar a quantidade de gordura e a massa muscular do paciente, dados bioquímicos, ou seja, pesquisa de laboratório, também são ferramentas importantes que fornecem ajuda para monitorar as alterações dos hábitos alimentares.

E por último, mas não menos importante, é a frequência de consultas ocorrem, no máximo monitoramento do possível, permitir a troca de experiências entre ambos os lados, tornando o processo de ensino/alterações menos tensa.

Sendo a alimentação um processo importante na vida e vai acompanhar o homem até o fim, ele disse que a relação entre o homem e a comida era bem estruturada. Este é o papel do nutricionista reforço desses laços, de alimento, mostrando no seu paciente, as mudanças que ocorrem em seu corpo durante o processo de alimentação e de como a escolha errada pode levar a um desequilíbrio, que pode resultar em um distúrbio do metabolismo ou mesmo no desenvolvimento de uma doença crônica.

Mudar hábitos não é tarefa fácil, mas é possível. Esta alteração, de comum acordo entre o paciente/profissional e deve ser entendido como um processo de descoberta, onde os erros e acertos acontecem em busca do equilíbrio, sem preconceitos ou a culpa sobre o que você come, e assim, ao pensar, como se come e com quem se come, apostando na saúde e no prazer físico e mental.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *