Quarta-feira, 16 de Outubro de 2019
Início / Notícias / Policial
Fonte:
5 de setembro de 2013
Sequestrador de três mulheres nos EUA é encontrado enforcado em sua cela
Postado por Lenix Barbosa

 

Ariel Castro, que se declarou culpado  pelo sequestro, estupro e espancamento de três mulheres. Aaron Josefczyk/Reuters

 

Ariel Castro, o homem que manteve três mulheres sequestradas por quase uma década, foi encontrado morto em sua cela, na prisão da cidade Orient, em Ohio, na noite desta terça-feira (3). Segundo oficiais do presídio, Castro cometeu suicídio.

Segundo a porta-voz JoEllen Smith, Castro, 53, foi encontrado pendurado pelo pescoço por volta das 21h20 (22h20 no horário de Brasília) e recebeu primeiro-socorros antes de ser transferido para um hospital, onde foi declarada a morte.

Em 1º de agosto, Ariel Castro foi condenado à prisão perpétua após de declarar culpado em mais de 900 acusações, entre elas sequestro e estupro.

Entenda o caso

Em maio deste ano, as três vítimas de Castro - as jovens Amanda Berry, 27, Gina DeJesus, 23, e Michelle Knight, 32 - conseguiram escapar da casa de Castro, onde foram mantidas em cativeiro por dez anos. Ele foi preso logo depois de Berry chamar a polícia pelo telefone de um vizinho.

Desaparecidas entre 2002 e 2004, quando tinham 14, 16 e 20 anos, todas aceitaram caronas de Castro, um ex-motorista de ônibus. Durante o período de cativeiro, Castro se aproximou da família de uma de suas reféns e chegou a participar de uma vigília organizada quando ela estava sumida.

 

MICHELLE KNIGHT

Aaron Josefczyk/Reuters
Eu vou superar tudo isso que aconteceu, mas você terá de enfrentar o inferno por toda a eternidade

O ex-motorista também é acusado de provocar ao menos cinco abortos em uma das mulheres, que foi espancada e passou fome até perder os bebês.

Durante o julgamento, Michelle Knight, 32, deu um depoimento emocionado afirmando queCastro "a fez viver 11 anos em um inferno".

Um memorando detalhado dos atos de Castro, apresentado pelo procurador afirmava que as jovens não tinham acesso ao único banheiro da casa, localizado no primeiro andar. "Elas só tinham acesso a banheiros de plástico nos quartos. Eles eram esvaziados com pouca frequência", disse. Segundo o promotor, Castro usava o "frio do porão" e o "calor do sótão" como técnicas de tortura das garotas. (Com agências internacionais)

 

 

 

UOL

Compartilhe

0 Comentários

Escrever Comentário



(não será divulgado)







 
© 2009 MS NOTÍCIAS - Todos os direitos reservados