Sexta-feira, 17 de Novembro de 2017
Início / Notícias / Policial
Fonte:
8 de novembro de 2017
Menino conta a polícia e à mãe que era estuprado há um ano, diz delegado em MS
Delegado de MS relata que vítima denunciou abusos com riqueza de detalhes e inclusive citou refrigerantes, dinheiro e açaí que ganhava do suspeito.
Postado por Jessica Silva

 

Agenda que suspeito de abuso mantinha para se comunicar com as vítimas foi apreendida pela policia de Campo Grande nesta terça-feira. (Foto: Graziela Rezende/G1 MS)

O depoimento de um menino de 12 anos, possível vítima de estupro de um zelador de 55 anos, em Campo Grande, revelou que os abusos ocorreriam há pouco mais de um ano. Além deste menino, existem outros sete casos suspeitos e, de acordo com o delegado Fábio Sampaio, responsável pelas investigações, dois já teriam sido confirmados com exames periciais.

“Ele confirmou diante a mãe e nós inclusive ficamos preocupados com isso. Durante a oitiva, o adolescente falou que os abusos ocorreriam há pouco mais de um ano, que ele sempre dormia na casa do zelador e que era presenteado com salgados, açaí, refrigerantes e pequenas quantias em dinheiro”, afirmou ao G1 o delegado.

Na manhã dessa terça-feira (7), a polícia cumpriu o mandado de prisão e busca e apreensão pelo suspeito.  O homem estava escondido na residência do irmão.

Ele prestou depoimento no mesmo dia, durante a tarde, e negou todas as acusações. “Ele fala que não aconteceu nada, que somente era simpático com as crianças”, ressaltou o delegado.

Em sua residência, localizada em um condomínio no bairro Los Angeles, possível local dos abusos, a polícia encontrou uma agenda que o suspeito mantinha contato com as crianças, um jogo de bozó, aparelho de DVD, vídeo cassete e dois celulares. O material será periciado.

 

Entenda o caso

 

O caso começou a ser investigado pela polícia no início de outubro, após a queixa da mãe de um menino de 12 anos. Ele já passou por exames e os abusos teriam sido comprovados, de acordo com a investigação.

Na denúncia, a mãe disse que o suspeito dava dinheiro para as crianças e cometia abusos. Em depoimento, a ela relatou que questionou o filho sobre abusos após boatos no bairro.

O caso começou a ser investigado como estupro e favorecimento à prostituição.

G1 MS

Compartilhe

0 Comentários

Escrever Comentário



(não será divulgado)







 
© 2009 MS NOTÍCIAS - Todos os direitos reservados